Homem com 1000 filhos abre o jogo sobre seus descendentes após novo documentário

Homem com 1000 filhos abre o jogo sobre seus descendentes após novo documentário
Homem com 1000 filhos abre o jogo sobre seus descendentes após novo documentário (Foto: Reprodução/YouTube)

Jonathan Jacob Meijer, que teve sua identidade exposta após doar sêmen em diversas clínicas pelo mundo, quebrou seu silêncio sobre seus mais de 1000 filhos após um novo documentário da Netflix.

+ Em novo documentário, Céline Dion mostra convulsão causada por síndrome rara
+ Ariana Grande finalmente fala sobre o documentário “Quiet on Set: The Dark Side of Kids TV”

Intitulado The Man with 1000 Kids, o documentário aborda como Meijer foi proibido de doar sêmen em clínicas holandesas em 2017 e, em 2023, perdeu uma ação civil que afirmava que ele havia “informado deliberadamente mal” os destinatários sobre o número de filhos que teve.

Uma das grandes questões levantadas no documentário é o medo do incesto, já que centenas dos filhos de Meijer podem entrar em contato uns com os outros sem saber que são irmãos biológicos e namorar ou ter seus próprios filhos uns com os outros.

Perguntado se achava que a doação excessiva de sêmen era antiética, Meijer respondeu: “De jeito nenhum. […] Sou doador há 17 anos e penso nisso, claro, todos os dias e seria um problema se o doador fosse totalmente anônimo, porque assim a criança nunca teria a opção de descobrir.”

O documentário afirma que Meijer criava perfis falsos para doar sêmen e ocultava sua identidade para tal, o que ele negou. “Nunca doei anonimamente. Eu me oponho a isso. Acho que é muito bom que os doadores estejam abertos”, afirmou Meijer.





Meijer se recusou a falar no documentário da Netflix e ainda o chamou de “errôneo”. O doador afirma que, quando foi contatado pela primeira vez, foi-lhe dito que seria um documentário geral sobre os doadores de sêmen, antes de se tornar um documentário exclusivamente centrado nele.



Back to top